Tudo que você tem te traz felicidade?

Nós começamos a nos questionar sobre esse assunto quando buscamos nos aprofundar mais no tema da sustentabilidade e entendemos sua relação profunda com o consumo.

Estamos comprando demais e gerando lixo desde a produção, embalagem e às vezes o próprio produto, que meses depois já se tornou desinteressante. Com a quarentena o consumo online se intensificou, o lixo também. Por outro lado, ficamos mais em casa, o que nos trouxe a oportunidade de olhar a nossa volta e nos questionar: 

Será que preciso de tudo que tenho aqui em casa?

Tinha um vestido guardado no armário fazia mais de 5 anos. Ele é lindo, mas eu não o usava. Eu o mantinha ali para quando tivesse uma festa legal, mas nesse meio tempo passei por várias festas e não tive vontade vesti-lo. Refletindo um pouco mais sobre o meu processo de compras eu entendi que o vestido já não mais combina com meu estilo de vida e portanto não faz sentido mantê-lo guardado. 

Mas pra saber que o vestido não faz sentido, uma pergunta vem antes: qual o meu estilo? Quem sou eu?

Essas perguntas são muito importantes quando você quer levar uma vida mais intencional e com mais propósito. É muito importante se conhecer para poder saber como queremos viver a vida e deixar nosso impacto aqui na Terra. 

Esse mês eu (Mariana) e minhas irmãs estamos com um desafio proposto por nós chamado #desafiododesapego em que durante o mês todo vamos tirar coisas da nossa casa que não fazem mais sentido ou não trazem alegria e estão apenas ocupando espaço. Uma coisa por dia. Veja esse video super rapidinho explicando. 

No lugar de novos consumos para as coisas que estão saindo, vamos ocupar com uma coisa muito importante: tempo. 

A ideia é deixar mais espaço livre na nossa casa, simplificar tudo (e ganhar tempo até com limpeza) para ocupar com o que realmente importa: tempo de qualidade fazendo o que se gosta, com quem se gosta, com tudo que dá prazer. Investir no “ser” ao invés do “ter”.

Esse parece um exercício simples, mas a verdade é que ele exige um compromisso com uma mudança. Tirar as coisas sem entender o que nos levou a comprá-las e por que estamos dedicando nossa energia em comprar e comprar, não vale de nada, porque com o tempo a tendência é reocupar aquele vazio preenchido por coisas. 

O autoconhecimento pode vir de vários caminhos: se perguntando sobre si mesmo, meditando, mudando coisas na vida e entendendo os efeitos… cada pessoa tem seu processo particular. 

10 dias desapegando

No momento já se passaram 10 dias desapegando de coisas em casa. Uma chaleira linda, mas que não está sendo usada. Livros que não fazem mais sentido em nossas vidas. Enfeites. Roupas e mais roupas que não cabem mais, não tem mais nosso estilo, não estão em bom estado. 

Fazendo esse movimento me deparei com um livro que estou faz muito tempo para terminar mas nunca encontrava tempo e já nem sabia onde estava (na verdade estava no meu quarto mas tem tanto coisa ali que eu não “o via”: “Autobiografia de um Iogue”. Ele fala sobre yoga e autoconhecimento, pela história de Yogananda. Graças a essa arrumação entendi que é um ótimo momento para retomá-lo (tanta gente indica esse como o melhor e mais transformador livro de sua vida, George Harrison e Steve Jobs são alguns deles).

Se quiser acompanhar nosso processo, temos um outro post sobre, muitos stories no instagram e vídeos no nosso canal do Youtube.

2 comentários para “Você usa tudo que tem na sua casa?”

  1. Any disse:

    tenho feito o desafio durante esse mês e tem sido maravilhoso! eu realmente acredito que vou me estender e ir além de fevereiro. obrigada por compartilharem por aqui, tem sido ótimo na minha rotina 🙂

    abraços,
    Any.
    Poetiza-te

    1. Mariana Moraes disse:

      que delícia saber! vai contando tudo pra gente 🙂

Deixe seu depoimento

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu email para receber um boletim muito especial sobre sustentabilidade ♡

* campo obrigatório