Como funciona uma cooperativa de reciclagem

Conversamos com o Cristiano Cardoso, presidente da cooperativa Recifavela, para entender como funciona o processo de reciclagem.

A Recifavela é uma cooperativa que fica na favela da Vila Prudente, uma das mais antigas de São Paulo. Além da reciclagem a cooperativa também milita por causas como a auto-estima e o reconhecimento dos catadores, o feminismo e o cuidado com pessoas em vulnerabilidade social.

O que é uma cooperativa?
É um grupo de pessoas com um interesse em comum que se unem para realizar algum trabalho. No caso, estamos falando de reciclagem.

A Recifavela foi fundada e é gerida por 40 catadores cooperados, 30 destes são mulheres. Eles coletam cerca de 120 toneladas de resíduos por mês dos quais 80 toneladas são realmente comercializadas. Quer dizer, 40 toneladas de resíduos coletados pelos catadores não servem para a reciclagem e vão parar nos aterros, como roupas por exemplo. Vamos voltar a esse ponto mais para frente, explicando o que não deve ser descartado no lixo de recicláveis.

O processo para trabalhar na Recifavela é o oposto do modelo que conhecemos. Dos 50 a 100 currículos que eles recebem por dia, são selecionadas apenas pessoas em maior situação de vulnerabilidade, isto é: mães desempregadas, pessoas com dificuldade de leitura e que não teriam chances do mercado de trabalho. Outra possibilidade também de trabalho nessa cooperativa são os catadores avulsos que vendem os resíduos para a Recifavela.

O que eles coletam?

Tudo quanto é tipo de material reciclável. Alumínio, metal, plástico, papel.

As categorias mais comercializadas nas cooperativas:

1- Papelão marrom. Sai por 50 centavos o quilo, mas para vender para a fábrica, eles precisam juntar 15 toneladas.
2- O papelão misto, ou seja,  aquele que já foi reciclado antes. Ele sai por 30 centavos o quilo. Serve papelão sujo, caixa de pizza, caixa de sapato, etc.
3- Garrafa pet
4- Embalagem de amaciante.
5- Papel de livro, de caderno, etc

*A Recifavela também tem uma biblioteca com livros que foram descartados.

O que eles não coletam?

  • resíduo orgânico
  • madeira
  • roupa
  • resíduos da construção civil

Como funciona esse processo?

Os catadores trazem o material para a cooperativa e ganham um crédito da cooperativa, que depois recebe o valor em dinheiro das indústrias e empresas de reciclagem.

As maiores dificuldades de uma cooperativa são relacionados aos valores e medidas, porque as cooperativas precisam juntar enormes quantidades de resíduos para conseguir comercializar com as indústrias e empresas de reciclagem.

Para vender 1kg de vidro por 6 centavos, os catadores precisam juntar 6 toneladas de vidro, porque as indústrias não coletam menos do que isso. O quilo mais valioso é o das latinhas, que vale R$4. Por isso sempre falamos: vá de lata! É muito mais reciclada do que o vidro, mais valiosa e gera renda e emprego para os catadores. Em cerca de 60 dias uma latinha sai da prateleira, é consumida, reciclada e está de volta na prateleira.

Existem materiais que nem chegam nas cooperativas, por se tratarem de materiais valiosos e portanto com muitas partes interessadas, atravessadores, e porque existe muito comprador. O cobre é um exemplo (aquele material dos fios de telefone e internet por exemplo). O quilo custa R$8. Torneira, metal também são caros, R$12 o quilo. Processadores, computadores também tem valor alto.

Outro desafio que as cooperativas enfrentam é com aqueles materiais que tem o símbolo de reciclagem – e teoricamente são recicláveis – mas não são reciclados de fato. Isso acontece por uma série de razões, como por exemplo ser de um material muito leve, de baixa qualidade, etc.

Precisa limpar os resíduos antes de descartar para a reciclagem?

A Recifavela calculou que para lavar o produto, como um potinho de iogurte, gasta mais água do que para fabricar o pote. Além disso, quando chega nas recicladoras, aquele produto será lavado de qualquer forma. Essa não é uma opinião unânime, há cooperativas que apoiam a lavagem. De qualquer forma, se der para lavar, use água de reuso.

Algumas perguntas e respostas:

– Bandeja de isopor de carne e frios recicla?
Sim, mas não são todas as cooperativas que reciclam, pois precisa juntar muito isopor e muitas cooperativas não tem espaço para armazenar.
– Embalagem de salgadinho recicla, aquelas metalizadas?
Não. As indústrias dizem que são recicláveis, mas na prática não são recicladas por nenhuma cooperativa.
– Caixa de leite?
Sim. É uma mistura de papelão, alumínio e plástico, chamada Tetrapak e na reciclagem são separados. Custa 30 centavos o quilo.  Já o leite em garrafa PET não recicla, pois falta tecnologia para isso nas cooperativas.
– Qual embalagem não devemos descartar junto dos recicláveis?
As embalagens plásticas de número 7 – embaixo ou atrás da embalagem há o símbolo da reciclagem (aquele triângulo de setas) com um número dentro. O 7 é uma mistura de materiais não identificados que não é reciclada. Falamos mais sobre os tipos de plástico e os números neste texto.

Além disso: fraldas, absorventes, papel higiênico, roupa, espelho, televisão.

* Não rasgue ou pique papel, pois desta forma você estará inviabilizando a reciclagem por torná-lo muito pequeno. 

– Como descartar vidro quebrado?
Coloque dentro de uma garrafa pet e indique que está quebrado. Ele será reciclado.

Reciclar é maravilhoso, mas antes dessa etapa existem muitas outras como: repensar seu consumo (você precisa mesmo deste novo produto?), reutilizar materiais e embalagens e consertar suas coisas ao invés de comprar novas. Vamos juntes?

 

Qual testamos?

Deixe seu depoimento

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu email para receber um boletim muito especial sobre sustentabilidade ♡

* campo obrigatório