A iniciativa começou na Australia em 2011 e devido ao grande sucesso, se tornou uma ONG, a Plastic Free July. A ideia é alertar a população para o grave problema ambiental que o plástico se tornou.

Nós falamos um pouco sobre esse assunto aqui, mas vale relembrar: todo o plástico criado desde sua invenção até hoje ainda está no planeta. Enterrado em algum aterro, mergulhado em alguma parte do oceano, preso na garganta de alguma tartaruga, enfim, o plástico leva de 200 a 400 anos para se decompor e ainda é pouco reciclado. Mesmo se o mundo o reciclasse mais, plástico não é como vidro que podemos reciclar infinitamente e ele continua sendo vidro. O plástico é um material que, quanto mais você recicla e o transforma em outra coisa, mas ele vai se deteriorando e perdendo suas características, até não dar mais para fazer nada. É um material poluente, tóxico, altamente nocivo ao meio ambiente.

É um problema relativamente novo, tem cerca de 110 anos. A princípio parecia uma solução perfeita: é um material resistente, fácil de obter, portátil e barato. Demorou um tempo até que o mundo visse que essas mesmas características fariam dele um grande pesadelo. Como fazer as empresas o substituirem se é tão barato? Como mudar a mentalidade das pessoas que o utilizam se é tão prático?

Podemos começar com a conscientização do Julho Sem Plástico. Aceite o desafio, compartilhe a ideia com os amigos, incentive as pessoas a embarcarem nessa também. Aqui vão algumas dicas de como entrar nessa:

  1. Troque as garrafinhas de água de plástico que você compra ao longo do dia por uma de metal, que você possa usar para sempre.
  2. Se você toma muito café, opte por um copo reutilizável  (nós vendemos da #MenosUmLixo pelo email contato@verdesmarias.eco.br ), recuse os copos descartáveis.
  3. Tenha uma ecobag com você para colocar as compras de farmácia, livraria, supermercado.
  4. Para os lixinhos, use sacolas de papel.
  5. Substitua os canudos pelos de metal (nós também vendemos de inox, no mesmo email) ou simplesmente RECUSE.

Com essas atitudes você já consegue evitar grande parte do plástico que você usaria no dia a dia. Se você passar um mês fazendo isso, vai acabar estendendo para os outros meses e para a vida.

Quem sabe juntos a gente não consegue reverter aquela previsão da ONU de que se nada mudar, até 2050 teremos mais plástico do que peixes nos oceanos?

 

Saiba Mais:

Matéria no The Guardian

 

Qual testamos?

Deixe seu depoimento

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *