Nós três sempre gostamos de usar maquiagem. De uns tempos pra cá, com essa nossa busca por uma vida mais simples e natural, passamos a repensar nossa relação com os cosméticos. Já abordamos aqui as vantagens da beleza mais natural sem tantos ingredientes químicos e damos dicas de alguns químicos para se evitar.

Eu (Clara) aprendi a sempre olhar os rótulos de todos os produtos que consumo. Comecei com os cosméticos e hoje olho os rótulos de alimentos até produtos de limpeza. Uma das maneiras de evitar quinze dos piores ingredientes presentes em produtos de farmácia é consultando a ‘lista dos 15’ que a Cristal Muniz (ativista que adoramos da causa Lixo Zero) preparou junto com especialistas e disponibilizou neste link.

Outra maneira, talvez mais prática, é o site da EWG (Environmental Working Group) que a Mari descobriu um dia desses e que a Cristal também já recomendou. Ele serve para checar cada ingrediente do seu cosmético. Basta colocar no campo da busca o nome do que você quer saber se é seguro ou não e o site te dá a resposta num formato bem simples: verde ok, amarelo médio e vermelho é problema (com uma explicação). É um portal americano, mas como a composição dos produtos é toda feita em linguagem científica, a língua não importa.

Outra função bacana desse site é procurar um determinado produto que você queira, como um lápis de olho por exemplo. Você digita lá: eye liner e ele te passa todas as marcas que possuem o selo da EWG. Para certificar uma marca, a EWG verifica a composição de ingredientes, estudos disponíveis, dados governamentais sobre a toxicidade química e o banco de dados que eles possuem desde 2004. Além disso, as empresas também devem provar que preservam adequadamente os produtos sem substâncias químicas.

Uma questão que pode surgir para você depois que optar por cosméticos naturais é o que fazer com os seus cosméticos antigos cheios de química. A maior parte deles dá para usar para lavar roupas (eu uso meu antigo shampoo líquido para lavar minhas calcinhas no banho), condicionador de cabelo dá para usar como amaciante de roupas e o shampoo também dá para usar como produto de limpeza, para limpar a privada por exemplo. Claro que não é o ideal, afinal shampoo não foi feito para lavar roupa nenhuma, mas diante de uma possibilidade de desperdício, vale a pena quebrar o protocolo.

Vale sempre lembrar que a oferta de cosméticos naturais vai aumentar conforme a demanda. É importante que a gente tente aos poucos, mas cada vez mais consumir esses produtos. Sua pele e saúde agradecem. 🙂

Vale também lembrar que tem muito cosmético que dá pra fazer em casa, como o blush e a manteiga de cacau. Nós já aprendemos a fazer alguns em cursos, mas não refizemos em casa ainda.

 

Qual testamos?

Deixe seu depoimento

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *